saneamento basico
Copasa Crédito Saneamento

Copasa obtém crédito de R$ 1,12 bi para investir em saneamento

Copasa Crédito Saneamento

Por: Thyago Henrique

A Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) garantiu acesso a uma linha de crédito da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD) para acelerar a universalização do saneamento em Minas Gerais. O valor obtido foi de 200 milhões de euros, aproximadamente R$ 1,12 bilhão.

A estatal disse que pretende utilizar o recurso do financiamento em ações e obras de melhoria nos sistemas de abastecimento de água e de ampliação da rede de tratamento e coleta de esgoto em todos os municípios atendidos pela empresa no Estado, até 2027.

Então atualmente, a concessionária dispõe de 638 concessões municipais de água e 309 de esgoto no território mineiro.

Os investimentos da Copasa em saneamento vêm batendo recordes desde 2022, quando foram aplicados R$ 1,35 bilhão, o maior volume em cinco anos. No último exercício, o montante investido chegou a R$ 1,63 bilhão, indicando um aumento de 24,7% sobre o período anterior.

LEIA TAMBÉM: Usina de dessalinização é opção para enfrentar escassez de água

O crescimento das inversões da companhia em saneamento continua neste ano. Nos primeiros três meses de 2024, os aportes da estatal em intervenções para melhorar o abastecimento de água e esgotamento sanitário de Minas Gerais foram de R$ 372,4 milhões. Um incremento de 39,2% na comparação com igual intervalo de 2023, época em que a empresa investiu R$ 267,6 milhões.

Copasa Crédito Saneamento

A elevação dos aportes tem impactado positivamente a concessionária. A taxa de cobertura do serviço de água da estatal em sua área de atuação ficou acima de 99% no primeiro trimestre, percentual maior que a média nacional e que bate a meta do Marco Legal do Saneamento.

Além disso, recentemente, a companhia anunciou que projeta investir R$ 9,8 bilhões até 2028, dos quais cerca de R$ 1,8 bilhão somente neste ano. O alto nível de investimentos visam permitir que a Copasa alcance a universalização de esgoto até 2033, que é o prazo estabelecido na legislação. Até março, o índice de cobertura global da empresa era de 75,6% para esgoto coletado e tratado.

Empréstimo alinhado às práticas ESG

Mas o financiamento da Agência Francesa de Desenvolvimento simboliza para a estatal mineira, além da primeira parceria entre as instituições, o primeiro reconhecimento de uma linha de crédito rotulada como “empréstimo sustentável” e “empréstimo azul”. A certificação foi alcançada por meio do parecer independente da Erm Nint, empresa de consultoria e avaliação de ESG (sigla, em inglês, referente as boas práticas empresariais nos aspectos ambientais, sociais e de governança.

“O empréstimo azul é um financiamento de ações que contribuem para a proteção dos oceanos ou melhoria da gestão dos recursos hídricos. Já quanto ao empréstimo sustentável, fomos reconhecidos porque tivemos as melhores práticas de mercado para emissão de dívidas sustentáveis”, esclarece o diretor e de relações com investidores da Copasa, Carlos Augusto Botrel Berto.

Portanto perguntado se a estatal está em busca de outros empréstimos desse tipo, ele disse que não só a Copasa. Como todas as empresas, precisarão buscar linhas de crédito com a vertente ESG. Embora esse seja, no momento, o único financiamento da companhia com os dois reconhecimentos.

LEIA TAMBÉM: Semil lança ampla programação para a semana do meio ambiente

Em suma Berto ainda ressaltou que os projetos para os quais os recursos obtidos na linha de crédito serão destinados estão alinhados com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU). São exemplos, o de número 3 (Saúde e Bem-Estar), 6 (Água Potável e Saneamento), 11 (Cidades e Comunidades Sustentáveis) e 14 (Vida na Água).

Em conclusão por esse motivo, as iniciativas também convergem com o Movimento Minas 2032 (MM2032), pela transformação global. Liderado pelo DIÁRIO DO COMÉRCIO, que propõe uma discussão sobre um modelo de produção duradouro e inclusivo.

Fonte: DC.

Últimas Notícias: