saneamento basico
saneamento

Governo cria Comissão de Adequação do Marco Regulatório do Saneamento Básico de Sergipe

Composta por 13 integrantes, equipe terá 120 dias para discutir e apresentar propostas de estudos para o Plano Estadual de Saneamento Básico

Analisar e propor medidas de ajuste na Política Estadual de Saneamento Básico, de Recursos Hídricos e a Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, realizar estudos de viabilidade institucional, técnica e econômico-financeira no tocante à regionalização da prestação dos serviços de saneamento básico, são algumas das atribuições da Comissão de Adequação do Marco Regulatório do Saneamento Básico de Sergipe.

Criada pelo Governo do Estado, por meio do Decreto de nº 40.715, em 11 de novembro de 2020, a comissão tem instância multiparticipativa e intersetorial, e, dentro das suas prerrogativas, deverá apresentar proposituras no tocante a realização de estudos e implementação do Plano Estadual de Saneamento Básico e no respectivo sistema de informações, propor a revisão da Lei 5857, que dispõe sobre a Política Estadual de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, bem como, realizar estudos e propor adoção de uma política pública de governança administrativa eficiente sobre a gestão dos recursos hídricos, meio ambiente e saneamento básico.


LEIA TAMBÉM: SUCESSO DE LEILÃO PODE MANTER VETO PRESIDENCIAL A NOVO MARCO DO SANEAMENTO


Execução das Obras

De acordo com o secretário estadual do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade, Ubirajara Barreto, o Governo do Estado empenhará todos os esforços para alinhar à realidade de Sergipe ao Novo Marco Regulatório. “Trata-se de um trabalho desafiador, dado o prazo para a execução dos trabalhos, no entanto, pelo potencial dos membros envolvidos, acreditamos que encontraremos propostas condizentes e que possam se adequar às diretrizes estabelecidas na Lei Federal, e, dessa forma possamos dispor de serviços essenciais que melhorem a qualidade de vida dos sergipanos, e, paralelamente, traga avanços na preservação do meio ambiente”, ressalta.

Tendo o prazo de 120 dias, com mais 60 prorrogáveis, se assim se fizer necessário, para o encerramento dos trabalhos, contados a partir da publicação do seu Decreto de criação, a comissão é composta por 13 representantes, sendo sete titulares e seis suplentes, todos ligados à órgãos institucionais do Governo do Estado. A depender da especificidade das matérias discutidas, poderão participar das reuniões, representantes de outras entidades da sociedade civil, desde que esta intervenção possa ser justificada.

O novo Marco Legal do Saneamento Básico

Criado pela Lei Federal nº 14.026/2020 e sancionado em 15 de julho de 2020, segundo o Ministério do Desenvolvimento Regional, o novo Marco Legal do Saneamento Básico tem como objetivo principal universalizar e qualificar a prestação dos serviços no setor e atingir essa universalização até 2033, para que 99% da população tenha acesso a água potável e 90% ao tratamento e coleta de esgoto. Além disso, o Marco Regulatório contribuirá para a revitalização de bacias hidrográficas, redução de perdas de água e conservação do meio ambiente.

Segundo o superintendente especial dos Recursos Hídricos e Meio Ambiente, Ailton Rocha, o decreto criado pelo Governo do Estado favorecerá a política de saneamento em Sergipe. “Assim como já vem ocorrendo em outros estados, a exemplo do Ceará, o propósito é que o estado de Sergipe possa se adequar o mais rapidamente a esse marco regulatório de saneamento básico, uma vez que ele trará ganhos para o meio ambiente, a curto, médio e longo prazo”, avalia.

Fonte: SE.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS: MDR INVESTE R$ 45,1 MILHÕES EM SISTEMA DE MACRODRENAGEM EM JACAREÍ (SP)

Últimas Notícias:
Descarte Correto de Resíduos

Saiba como descartar resíduos corretamente e evitar doenças como a dengue

Além de crime ambiental, o descarte irregular de resíduos sólidos traz diversos prejuízos ao meio ambiente e à população. Estes pontos se tornam ambientes propícios para a proliferação de vetores de doenças, levando às situações de alagamentos em período de chuva, comprometendo a qualidade do ambiente e da paisagem do local, além de gerar o aumento dos custos públicos com a remoção do material descartado de forma incorreta e também dos gastos com saúde pública.

Leia mais »
Contrato Sabesp Vale do Paraíba

Novo contrato da Sabesp prevê aporte de R$ 18,6 bilhões no Vale do Paraíba até 2060

Atualmente em consulta pública, o novo contrato da Sabesp encontra-se em processo de desestatização, proposto pelo governo do estado de São Paulo. Os investimentos estão previstos em R$ 18,6 bilhões até o ano de 2060, no Vale do Paraíba e Litoral Norte. Cerca de R$ 5 bilhões serão destinados à universalização do saneamento básico nas 28 cidades atendidas pela Sabesp na região até 2029. As obras que pretendem levar água potável, coleta e tratamento de esgoto para toda a população, foram definidas com as prefeituras.

Leia mais »
Dmae Fumaça Ligações Irregulares

Dmae de Uberlândia/MG vai iniciar testes de fumaça para identificar ligações irregulares de esgoto

A partir da próxima segunda-feira (4), o Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) iniciará testes de fumaça para detectar ligações irregulares na rede de esgoto do município. O primeiro bairro atendido será a região do bairro Pampulha. O local em questão foi escolhido para iniciar os trabalhos devido ao grande número de chamados para desobstrução de rede, especialmente em período de chuva. Futuramente, outros bairros da cidade receberam os mesmos testes.

Leia mais »
Manejo de Resíduos Biometano Brasileiro

Ao custo global de R$ 3,1 tri, manejo de resíduos pode virar negócio, como o biometano brasileiro

Segundo alerta feito pela ONU nesta quarta-feira, 28, o volume de resíduos no mundo, que atingiu 2,3 bilhões de toneladas em 2023, continuará crescendo exponencialmente, até 3,8 bilhões de toneladas até meados deste século. A crise será ainda mais grave nos países onde os métodos de tratamento ainda são poluentes: aterros sanitários (contaminação do solo, emissões de poluentes e gases de efeito estufa, como o metano) e incineração sem recuperação.

Leia mais »
Sanasa Campinas Saneamento Básico

Campinas tem saneamento superior à média nacional

Dados do “Censo 2022: Características dos domicílios – Resultados do universo”, publicados na sexta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) confirmam a elevação dos indicadores de moradores com acesso ao saneamento básico em Campinas.

Leia mais »