saneamento basico

Chuvas: Governo de Sergipe em estado de alerta e monitora barragens do interior

O Governo do Estado alerta para os riscos que as chuvas podem trazer nos locais onde há barragens. Para acompanhar a situação, o governo criou um grupo específico, classificado como gabinete de situação, para realizar monitoramento dessas barragens e as consequências das chuvas em Sergipe

O grupo se reuniu na manhã desta quinta-feira, 11. Participaram desse encontro representantes da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (Sedurbs), Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso), Superintendência Especial de Recursos Hídricos e Meio Ambiente (Serhma), Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe, Defesa Civil do Estado e dos municípios de Aracaju, Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão e a Empresa Municipal de Obras e Urbanização de Aracaju (Emurb).

Após a reunião, o governo emitiu nota pública destacando a atual situação das barragens existentes no interior do Estado. Conforme a nota, a comunidade deve permanecer em alerta, observando o nível de água nesses locais e transmitir informações aos órgãos públicos, através dos telefones que estão disponibilizados no final desta matéria.

Apesar do alerta, o governo, na nota pública, destaca que a estrutura das barragens no interior se encontra dentro da normalidade, sem oferecer riscos à população.

Conheça as barragens monitoradas no interior de Sergipe

Barragem João Alves, a da Ribeira, localizada entre os municípios de Campo do Brito e Itabaiana – a população dos municípios de Itaporanga, São Cristóvão e localidades próximas à barragem deve ficar atenta ao nível da água;

Dionísio Machado, no município de Lagarto e Piauitinga, em Salgado. A população de Salgado e de Estância devem permanecer em atenção;

Jabeberibe, no município de Tobias Barreto, apresenta risco mínimo de vertimento que pode afetar a população

Barragem do Poxim Açu, no município de São Cristóvão, atende a Grande Aracaju. Essa barragem está com 95,2% de sua capacidade de volume útil. A Deso mantém uma equipe de monitoramento constante na barragem do Rio Poxim Açu para avaliar o aumento do volume de água.

“É importante salientar que até o momento a barragem não verteu e não houve abertura da válvula dispessora, uma espécie de comporta”, destaca a nota. Porém, conforme a nota, com o volume de chuva esperado para as próximas 24 horas em torno de 50mm, há grande possibilidade do vertimento da barragem.

A Deso informa

A Deso informa que a Barragem do Poxim Açu vem cumprindo seu papel de retenção de água e a minimização de impacto de cheias, uma vez que armazenou todo o acúmulo de chuvas até o momento, que foi de 307 mm nos últimos dez dias, ultrapassando a média histórica para a Grande Aracaju, no mês de julho, que é estimada em 215 mm. “É importante esclarecer que a inundação que ocorre em Aracaju no bairro Jabotiana (Largo da Aparecida, Santa Lúcia, JK e Sol Nascente) em Nossa Senhora do Socorro (Parque dos Faróis) e no município de São Cristóvão (Jardim Universitário) ocorreu pelas cheias do Rio Poxim Mirim, e não da barragem do Poxim Açu, além da influência da amplitude da maré”, revela a nota.

Na nota, o Governo do Estado informa que os órgãos emergenciais estão de prontidão para atender as necessidades dos sergipanos. “A Defesa Civil alerta à população que se o nível de água dentro das residências se elevar, é importante deixar o local e procurar abrigo em lugar seguro, além de ligar para os órgãos de segurança.

Fonte: Infonet.

Últimas Notícias:
Projetos ESG Resultados no Saneamento

Projetos ESG e seus resultados no saneamento

Projetos ESG são práticas adotadas por empresas com base em critérios ambientais, sociais e de governança corporativa. A implementação bem-sucedida de projetos ESG reduz riscos e impactos sociais, ambientais e financeiros das operações. Dessa forma, atraem investidores e contribuem para a sustentabilidade das atividades.

Leia mais »
Descarte Correto de Resíduos

Saiba como descartar resíduos corretamente e evitar doenças como a dengue

Além de crime ambiental, o descarte irregular de resíduos sólidos traz diversos prejuízos ao meio ambiente e à população. Estes pontos se tornam ambientes propícios para a proliferação de vetores de doenças, levando às situações de alagamentos em período de chuva, comprometendo a qualidade do ambiente e da paisagem do local, além de gerar o aumento dos custos públicos com a remoção do material descartado de forma incorreta e também dos gastos com saúde pública.

Leia mais »
Contrato Sabesp Vale do Paraíba

Novo contrato da Sabesp prevê aporte de R$ 18,6 bilhões no Vale do Paraíba até 2060

Atualmente em consulta pública, o novo contrato da Sabesp encontra-se em processo de desestatização, proposto pelo governo do estado de São Paulo. Os investimentos estão previstos em R$ 18,6 bilhões até o ano de 2060, no Vale do Paraíba e Litoral Norte. Cerca de R$ 5 bilhões serão destinados à universalização do saneamento básico nas 28 cidades atendidas pela Sabesp na região até 2029. As obras que pretendem levar água potável, coleta e tratamento de esgoto para toda a população, foram definidas com as prefeituras.

Leia mais »
Dmae Fumaça Ligações Irregulares

Dmae de Uberlândia/MG vai iniciar testes de fumaça para identificar ligações irregulares de esgoto

A partir da próxima segunda-feira (4), o Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) iniciará testes de fumaça para detectar ligações irregulares na rede de esgoto do município. O primeiro bairro atendido será a região do bairro Pampulha. O local em questão foi escolhido para iniciar os trabalhos devido ao grande número de chamados para desobstrução de rede, especialmente em período de chuva. Futuramente, outros bairros da cidade receberam os mesmos testes.

Leia mais »
Manejo de Resíduos Biometano Brasileiro

Ao custo global de R$ 3,1 tri, manejo de resíduos pode virar negócio, como o biometano brasileiro

Segundo alerta feito pela ONU nesta quarta-feira, 28, o volume de resíduos no mundo, que atingiu 2,3 bilhões de toneladas em 2023, continuará crescendo exponencialmente, até 3,8 bilhões de toneladas até meados deste século. A crise será ainda mais grave nos países onde os métodos de tratamento ainda são poluentes: aterros sanitários (contaminação do solo, emissões de poluentes e gases de efeito estufa, como o metano) e incineração sem recuperação.

Leia mais »
Sanasa Campinas Saneamento Básico

Campinas tem saneamento superior à média nacional

Dados do “Censo 2022: Características dos domicílios – Resultados do universo”, publicados na sexta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) confirmam a elevação dos indicadores de moradores com acesso ao saneamento básico em Campinas.

Leia mais »