saneamento basico
servicos-agua-esgoto

ARSESP avalia os serviços de água e esgoto do estado de São Paulo por meio de pesquisa de satisfação com os usuários

A Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo – Arsesp divulga a 2ª Edição da Pesquisa de Satisfação dos Usuários Residenciais dos Serviços de Água e Esgoto dos municípios regulados pela Agência e daqueles situados nas regiões metropolitanas do Estado de São Paulo.

O universo desta Pesquisa compreende usuários residenciais urbanos ligados à rede pública de abastecimento de água e serviços de esgoto, em 321 municípios do Estado, atendidos por três prestadores de serviços, a saber:

  • Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo – Sabesp: 319 municípios, sendo 282 (à época) conveniados e 37 pertencentes às Regiões Metropolitanas;
  • Saneaqua: município de Mairinque;
  • BRK Ambiental: Município de Santa Gertrudes.

Foram realizadas cerca de 76 mil entrevistas, com amostra probabilística, com representatividade municipal e margem de erro de 7,7%. O período da coleta de informações ocorreu de novembro de 2017 a fevereiro de 2018. Para a realização da pesquisa a Arsesp contratou, por meio de licitação, a Fundação Seade, instituição pública considerada referência na produção e disseminação de pesquisas, análises e estatísticas socioeconômicas e demográficas.

Principais resultados da satisfação dos usuários no estado de São Paulo

Os usuários foram ouvidos acerca dos seguintes temas: aspectos da água; serviços de abastecimento; serviços de esgoto; percepção sobre a conta; qualidade do atendimento.

Aspectos da água: Foram investigados 3 aspectos da água, a saber: gosto, cheiro e transparência. Em uma escala de “muito insatisfeito” a “muito satisfeito”, o aspecto melhor avaliado foi a transparência que obteve 80,1% de usuários “satisfeitos” e “muito satisfeitos”. O cheiro veio em seguida com 79,8%, e o gosto com 77,2%.

Serviços de abastecimento de água:

  • 64% declaram não ter tido problema com os serviços de água.
  • Entre os que tiveram problema com o abastecimento, a falta de água é o problema mais frequente, apontado por 91% desses usuários. Já quando considerado o total dos entrevistados, a falta de água é relatada como um problema enfrentado por 31% dos moradores do estado.
  • O vazamento aparece em segundo lugar com 5,0% das ocorrências entre os entrevistados que apontaram problema com o abastecimento. No entanto, quando contextualizado na totalidade das entrevistas esse índice é de 2%.

Serviços de esgoto:

  • 87% dos domicílios estão ligados à rede de esgoto, 9% à fossa séptica e 5% à fossa rudimentar, vala ou direto para o rio, riacho, lago ou mar.
  • 86% dos usuários relataram não ter tido problemas relacionados ao serviço de esgoto.
  • Entre aqueles que declaram alguma ocorrência, o mau cheiro é o que apresenta o maior índice (53%), seguido por vazamento (43%). Quando considerado o total dos entrevistados, esses índices caem para 7% e 6%, respectivamente.

Conta:

  • 41% dos usuários declararam que costumam ler a conta de água e esgoto.
  •  Entre aqueles que possuem o hábito de leitura, 80% declararam que os componentes da conta são de fácil compreensão. No entanto, a maior dificuldade é em relação ao entendimento do cálculo do valor da conta de água (82%) e de esgoto (80%).
  • Pouco mais da metade 53% dos usuários declarou que considera caro o valor da conta, já 44% acha justo e 3% acha barato.

Atendimento aos prestadores de serviço

Sabesp: 74% dos usuários afirmaram estar “satisfeitos” ou “muito satisfeitos” com o atendimento recebido pela Sabesp. A região da Baixada Santista registra o menor índice de satisfação e os mais satisfeitos são da região de Presidente Prudente.

Saneaqua: obteve 72% de usuários “satisfeitos” ou “muito satisfeitos”, no município de Mairinque.

BRK Ambiental: Registrou 67% de usuários “satisfeitos” ou “muito satisfeitos” com o atendimento em Santa Gertrudes.

Paulo Arthur Góes, Diretor de Relações Institucionais da Arsesp, explica que “a pesquisa é uma ferramenta de gestão e aperfeiçoamento da atividade regulatória. Aproxima o regulador do usuário dos serviços. De modo geral há uma percepção por parte do usuário de melhora na qualidade do serviço do prestador, no entanto ainda existem desafios que precisam ser enfrentados, e é neles que o regulador e sobretudo regulado devem concentrar seus esforços”.

A Superintendente Institucional e de Relações com Usuários e coordenadora desta pesquisa, Samira Bevilaqua, relata que “a pesquisa é um importante instrumento para ampliar a participação social no âmbito da Agência, pois a partir da percepção dos usuários é possível complementar os indicadores técnicos de regulação e fiscalização dos serviços”.

Avaliação das prestadoras de serviço

Os entrevistados avaliaram as prestadoras de serviços por meio de atribuição de notas de zero a 10, as três operadoras obtiveram notas similares, a saber:

  • Sabesp: 7,8
  • Saneaqua: 7,6
  • BRK Ambiental: 7,5

A Arsesp adota a pesquisa de satisfação com usuários dos serviços regulados como ferramenta de gestão e de apoio às atividades de fiscalização e de regulação dos serviços de saneamento básico.

Os resultados dos 321 municípios pesquisados estão disponíveis no site da Arsesp no link: http://www.arsesp.sp.gov.br/SitePages/espaco-da-prefeitura/pesquisa-satisfacao-san-2017.aspx

Últimas Notícias:
greenTalks Sustentabilidade de Embalagens

greenTalks entrevista Bruno Pereira, CEO da Ecopopuli, sobre sustentabilidade de embalagens

O segundo episódio da temporada 2024 do videocast greenTalks – uma iniciativa pioneira entre a green4T e NEO MONDO para discutir o papel fundamental da tecnologia na promoção de um futuro mais sustentável – tem como entrevistado especial Bruno Pereira, Especialista em Sustentabilidade Positiva, Líder do Comitê de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Embalagem (ABRE) e CEO da Ecopopuli.

Leia mais »
Gestão Resíduos Sólidos Urbanos

Estudo aponta caminhos para a gestão de resíduos sólidos urbanos

Apenas a cidade de São Paulo produz cerca de 20 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) todos os dias, sendo 12 mil domiciliares e 8 mil da limpeza urbana, decorrentes de atividades de varrição, recolhimento de restos de feiras, podas e capinas. Considerando somente as 12 mil toneladas produzidas nas residências, isso dá uma média de aproximadamente 1 quilo de lixo por habitante ao dia.

Leia mais »
Lei do Bem Cagece

Lei do Bem: Cagece alcança R$ 3,6 milhões em benefícios fiscais através de investimentos em projetos de inovação tecnológica

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) é pioneira no Ceará em aliar os investimentos em projetos de inovação tecnológica e transformá-los em benefícios fiscais. Por meio da chamada “Lei do Bem” (nº 11.196/2005), a companhia conseguiu rastrear e inserir junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação um total de R$ 17 milhões, aportados em projetos de inovação nos últimos três anos, rendendo um retorno total de R$ 3,6 milhões em benefícios.  

Leia mais »
Política de Gerenciamento Resíduos Sólidos

Política de gerenciamento de resíduos sólidos em instituições públicas

O presente estudo aborda a problemática ambiental da geração de resíduos sólidos e a inadequação do gerenciamento destes nas instituições públicas. Considerando as limitações das opções de destinação final para os resíduos, é imprescindível minimizar as quantidades utilizadas dentro destas organizações por meio da redução, reutilização e reciclagem. Diante da Política Nacional de Resíduos Sólidos e em consonância com a agenda 2030, busca-se contribuir e apontar caminhos para o enfrentamento da grave questão.

Leia mais »