saneamento basico

(PA) Nova Estação de Tratamento de Água de Marabá atenderá mais de 26 mil domicílios

Os cerca de 250 mil habitantes de Marabá, sudeste do Estado, estão prestes a ser beneficiados com um moderno projeto de tratamento e abastecimento de água. A Estação de Tratamento de Água (ETA) de Marabá deve levar água de alta qualidade às casas de 26.522 famílias, após a realização de 4.552 novas ligações previstas no projeto, das quais 1.900 já foram realizadas. A obra recebe aporte financeiro global de R$ 99,92 mi, dos quais R$ 43,42 milhões são provenientes de recursos garantidos pelo Governo do Pará. O restante é investimento da Caixa Econômica Federal, por meio do Projeto de Aceleração do Crescimento I, do Governo Federal.

O projeto ETA-Marabá, que também contempla a instalação de hidrômetros e extensão da tubulação, possui gerência da Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) e já está em fase conclusiva, com 89% dos trabalhos de engenharia implementados, com inauguração prevista ainda para este mês. A ampliação do sistema de abastecimento vai corrigir um velho problema enfrentado pelos marabaenses, que não recebiam investimentos neste setor há muitos anos e sofriam com a baixa qualidade de água potável.

A primeira etapa da implantação e expansão da ETA-Marabá contemplou construção de uma Estação, revitalização de dois reservatórios elevados de 1000m³ e a construção de outro reservatório de 1000m³. Serão mais de 62,99 km de rede, com um total de 5.961 ligações, beneficiando mais 100 mil pessoas.

Já estamos na fase de pré-operação, faltando apenas a concretização das ligações domiciliares, podendo assim chegar a 100% da capacidade de tratamento. É uma satisfação imensa proporcionar isso aos moradores da cidade, pois água tratada na torneira do consumidor final é imprescindível”, explica Gercino Garcia, engenheiro supervisor da obra.

Com os investimentos do Governo do Pará, o complexo promete aumentar a capacidade de armazenamento de água de toda Nova Marabá por meio das estações da Folha 29, da Cidade Nova e Bairro Laranjeira, já acopladas ao sistema. O supervisor da obra sinalizou que futuramente a estação da Marabá Pioneira, ainda em processo de estudos para a interligação com nova ETA, também será viabilizada.

Vamos, praticamente, duplicar a produção de água tratada. Essa estação tinha uma produção de 1.700 metros cúbicos por hora e com o projeto vamos passar a produzir 2.800 metros cúbicos/hora a mais, podendo haver um pico máximo de 3.200 metros cúbicos. Significa dizer que hoje, com as 22 mil ligações já existentes da Cosanpa, mais as 4.552 ligações previstas no contrato, poderemos atender até 60% dos habitantes”, reitera.

Para a engenheira sanitarista e coordenadora operacional da Cosanpa em Marabá, Angela Rayol, a nova estação trará mais qualidade de vida à população. “Nós lidamos diariamente com o monitoramento do fornecimento de água de Marabá por meio de todas as estações e, posso garantir, é uma tarefa altamente complexa e técnica. Vemos o quanto a população almeja uma ampliação e melhor tratamento de água em Marabá. Ela levará água de qualidade a milhares de marabaenses e isso ajudará a evitar doenças, melhorando a qualidade de vida da população”, pontua.

Tecnologia
Outra novidade com este projeto é a modernização das engrenagens de abastecimento de água com engenharia de controle e automação, que será realizado por um moderno software. “São telas que representam o processo como um todo, da captação à distribuição de água, pelas quais os operadores responsáveis pelo controle realizarão ações em tempo real. São telas com imagens 3D que mostram todos os equipamentos, níveis dos reservatórios, pressões, as dosagens dos produtos, a eficiência e a capacidade de produção da estação”, exemplifica.

Segundo o engenheiro, “a tecnologia evita o contato direto dos técnicos com os equipamentos, o que proporciona mais segurança tanto pra operação como para a população e garante um fornecimento contínuo de recurso natural”. O processo foi arquitetado para evitar paradas inesperadas e encurtar o tempo de resolução de crises de maneira mais prática, já que o programa emitirá alertas sobre um determinado conflito.

Dados da Obra:

Início da obra: Junho de 2008

Previsão de conclusão: Janeiro de 2014

Andamento: 89%

Valor global: R$ 99,92 milhões (Sendo R$ 43,42 milhões de verba do Estado e o restante da Caixa Econômica Federal, por meio do PAC I).

Empresa responsável: CMT Engenharia

Secretaria responsável: Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa)

Órgão beneficiado: Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa)

Fonte: Agência Pará
Veja mais: http://www.agenciapara.com.br/noticia.asp?id_ver=67047

Últimas Notícias:
Blindagem Valas Estroncas Flexíveis

Sistema de Blindagem de Valas com Estroncas Flexíveis

Para a execução de trabalhos neste tipo de ambiente, o sistema de Blindagem de Vala Europeu tem características técnicas desenvolvidas para atender aos requisitos da execução de obras em locais densamente urbanizados, com foco na preservação do meio ambiente e estruturas adjacentes.

Leia mais »