saneamento basico
agua

Tarifação no saneamento básico dependerá da eficiência empregada no serviço

Rudinei Toneto explica que, se a tarifa aumentar, mecanismos que auxiliem a população de baixa renda terão que ser ampliados

Com a aprovação do novo marco legal do saneamento básico, o modelo atual existente no setor será modificado, abrindo novas possibilidades para a prestação de serviços, mas também quando pensamos nas formas de se tarifar esses serviços. Afinal, a pergunta que não quer calar é: a tarifa vai aumentar?

A resposta dessa pergunta depende de vários fatores e pode mudar ao longo do tempo. “Muitas pessoas dizem que a tarifa vai aumentar. Num primeiro momento, isso não é verdade. A tarifa só vai aumentar se o nível de eficiência do setor privado não compensar essa taxa de retorno.

Taxa de lucro pode ser compensada por ganhos de eficiência”, comenta o professor Rudinei Toneto, do Departamento de Economia da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA-RP) da USP de Ribeirão Preto.


LEIA TAMBÉM: PUBLICADOS 12 VETOS AO MARCO LEGAL DO SANEAMENTO


Serviços de Saneamento

Sendo um serviço essencial, a ausência do serviço de saneamento básico causa profundos impactos em termos de saúde pública e meio ambiente, até pensando na pandemia que enfrentamos atualmente. Se, por acaso, a tarifa acabar por aumentar, mecanismos que auxiliem a população de baixa renda terão que ser ampliados, como a Tarifa Social, já existente no setor. De acordo com o professor, isso depende de subsídios cruzados ou recursos fiscais, mas a importância aqui é garantir o acesso de toda a população ao serviço.

Para haver uma maior segurança na hora de um prestador taxar seu serviço, todo prestador terá que estar vinculado a uma agência reguladora e essa agência monitorará as tarifas do setor. Hoje, no Brasil, existem muitas agências reguladoras e, para Toneto, isso causa insegurança regulatória para o investidor, pois cada agência tem uma autonomia, segue um determinado tipo de regra, entre outros fatores. Com o novo marco, a Agência Nacional de Águas (ANA) será a responsável por criar normas a serem seguidas por todas as outras agências espalhadas pelo Brasil.

Fonte: Jornal da USP.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS: FGV DIREITO RIO LANÇA ESTUDO SOBRE REGULAÇÃO DAS ÁGUAS NO BRASIL

Últimas Notícias:
Projetos ESG Resultados no Saneamento

Projetos ESG e seus resultados no saneamento

Projetos ESG são práticas adotadas por empresas com base em critérios ambientais, sociais e de governança corporativa. A implementação bem-sucedida de projetos ESG reduz riscos e impactos sociais, ambientais e financeiros das operações. Dessa forma, atraem investidores e contribuem para a sustentabilidade das atividades.

Leia mais »
Descarte Correto de Resíduos

Saiba como descartar resíduos corretamente e evitar doenças como a dengue

Além de crime ambiental, o descarte irregular de resíduos sólidos traz diversos prejuízos ao meio ambiente e à população. Estes pontos se tornam ambientes propícios para a proliferação de vetores de doenças, levando às situações de alagamentos em período de chuva, comprometendo a qualidade do ambiente e da paisagem do local, além de gerar o aumento dos custos públicos com a remoção do material descartado de forma incorreta e também dos gastos com saúde pública.

Leia mais »
Contrato Sabesp Vale do Paraíba

Novo contrato da Sabesp prevê aporte de R$ 18,6 bilhões no Vale do Paraíba até 2060

Atualmente em consulta pública, o novo contrato da Sabesp encontra-se em processo de desestatização, proposto pelo governo do estado de São Paulo. Os investimentos estão previstos em R$ 18,6 bilhões até o ano de 2060, no Vale do Paraíba e Litoral Norte. Cerca de R$ 5 bilhões serão destinados à universalização do saneamento básico nas 28 cidades atendidas pela Sabesp na região até 2029. As obras que pretendem levar água potável, coleta e tratamento de esgoto para toda a população, foram definidas com as prefeituras.

Leia mais »
Dmae Fumaça Ligações Irregulares

Dmae de Uberlândia/MG vai iniciar testes de fumaça para identificar ligações irregulares de esgoto

A partir da próxima segunda-feira (4), o Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) iniciará testes de fumaça para detectar ligações irregulares na rede de esgoto do município. O primeiro bairro atendido será a região do bairro Pampulha. O local em questão foi escolhido para iniciar os trabalhos devido ao grande número de chamados para desobstrução de rede, especialmente em período de chuva. Futuramente, outros bairros da cidade receberam os mesmos testes.

Leia mais »
Manejo de Resíduos Biometano Brasileiro

Ao custo global de R$ 3,1 tri, manejo de resíduos pode virar negócio, como o biometano brasileiro

Segundo alerta feito pela ONU nesta quarta-feira, 28, o volume de resíduos no mundo, que atingiu 2,3 bilhões de toneladas em 2023, continuará crescendo exponencialmente, até 3,8 bilhões de toneladas até meados deste século. A crise será ainda mais grave nos países onde os métodos de tratamento ainda são poluentes: aterros sanitários (contaminação do solo, emissões de poluentes e gases de efeito estufa, como o metano) e incineração sem recuperação.

Leia mais »
Sanasa Campinas Saneamento Básico

Campinas tem saneamento superior à média nacional

Dados do “Censo 2022: Características dos domicílios – Resultados do universo”, publicados na sexta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) confirmam a elevação dos indicadores de moradores com acesso ao saneamento básico em Campinas.

Leia mais »