saneamento basico

Agespisa instala bomba d’água após mulher ficar 36h amarrada em poço

A população do conjunto Pedro Balzi está grata à moradora Ângela de Jesus, de 37 anos, que passou 36h amarrada ao poço instalado no bairro em protesto pela constante falta de água no local. O manifesto surtiu efeito e a Agespisa, empresa responsável pela distribuição de água no estado, enviou uma equipe na manhã desta segunda-feira (23) para dar continuidade às obras no poço.

Moradores contaram que Ângela de Jesus foi desamarrada a força pelos vizinhos na noite da sexta-feira (20), quase 36h depois dela ter iniciado o protesto. Eles cortaram as cordas e a levaram para casa abatida e sem forças por ter ficado horas sem comer e sem beber.

“Ela se sacrificou por nós. Eu jamais conseguiria fazer isso e não sei se teria essa coragem porque ela não pensou somente nela, mas em todos. Pensou em mim, que sou doente e não posso carregar água. Não vamos esquecer o que ela fez”, falou a costureira Deusuíta da Silva que tem sérios problemas ósseos e precisa carregar baldes de água até a sua residência.

O eletrotécnico Manuel Silva foi um dos que ajudaram a desamarrar a moradora. “Ela esperneou e não queria sair de jeito nenhum, mas a gente precisava fazer aquilo. Ângela não poderia ficar mais sofrendo porque não era justo. Nós agradecemos muito a coragem dela”, relatou.

Um grupo de moradores acompanhou os funcionários da Agespisa. Ângela também observava o trabalho da empresa e revelou que, por ela, só deixaria o local quando visse a água sair da torneira de sua casa.

“Eu tenho quatro crianças em casa e mais um idoso. Não é justo vivermos com falta de água. Fiz isso por eles, mas também por toda a comunidade e deu certo. Graças a Deus vieram e vamos ver se vão cumprir o que prometeram”, falou.

Para o ajudante de pedreiro Antônio Soares, a situação é revoltante e só revela o descaso dos governantes com a população do bairro. “Eu tenho um joelho quebrado e mesmo assim preciso todos os dias carregar baldes de água. É um descaso com a população porque jogam a gente aqui e não nos dão estrutura para viver”, falou.

De acordo com a população, o conjunto Pedro Balzi está há quase 20 dias sem o abastecimento de água por um problema na bomba elétrica do poço tubular. A bomba é a responsável por distribuir a água que chega às torneiras.

A Agespisa informou através de nota que as obras no poço tubular serão concluídas na terça-feira (24) e que após os serviços o fornecimento de água será reestabelecido.

Fonte: G1

Últimas Notícias:

#Comprometimento e Responsabilidade Técnica

Desde o início da criação da Comissão CE.010:105.007 – Comissão de Estudos de Produtos Químicos para Saneamento Básico, Água e Esgoto da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), em março de 2004, atuo como profissional voluntário e imparcial em prol da sociedade brasileira. Esta Comissão faz parte do CB-10, Comitê Brasileiro de Química da ABNT.

Leia mais »
Cagece Rede Esgoto Chuvas

Cagece orienta sobre cuidados com a rede de esgoto durante período chuvoso

Com o início quadra chuvosa em todo o Ceará, os cuidados com as redes de esgoto e de drenagem precisam ser redobrados, e para evitar obstruções, extravasamentos e alagamentos, a Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) orienta que a população faça o uso correto dos dois sistemas. Dentre as principais orientações: não destinar água de chuva e lixo para a rede de esgoto da Cagece.

Leia mais »
Concessão Saneamento Itaú de Minas

Concessão do saneamento de Itaú de Minas já tem interessadas

Pelo menos duas empresas de saneamento do setor privado manifestaram interesse na concessão do serviço em Itaú de Minas, no Sul do Estado, durante a etapa de consulta pública, concluída em 21 de janeiro deste ano. As empresas são a Cristalina Saneamento e a Orbis Ambiental, que também disputou a licitação do serviço em Alpinópolis, cidade da mesma região e de tamanho similar a Itaú.

Leia mais »