saneamento basico

Sanepar investe R$ 36,6 milhões na Estação de Tratamento de Esgoto Belém

A Sanepar executa obras de melhorias na Estação de Tratamento de Esgoto Belém, uma das maiores estações do Paraná, localizada em Curitiba. Os serviços desta etapa vão criar as condições para que a Estação opere com mais eficiência dentro da capacidade atual de tratar 840 litros de esgoto por segundo. Os investimentos somam R$ 36,6 milhões. Ainda em 2015, a Sanepar planeja licitar a segunda etapa das obras para ampliação. A capacidade de tratamento deverá saltar para 2.520 litros por segundo.

De acordo com o diretor de Investimentos da Sanepar, João Martinho Cleto Reis Júnior, este conjunto de obras e a substituição de equipamentos “além de garantir maior eficiência operacional, prepara a Estação Belém para a grande ampliação que será feita na sequência, necessária para atender o aumento da demanda do esgoto coletado”.

A expectativa do engenheiro responsável pelo empreendimento, Renato Marini, é concluir todas as obras desta primeira etapa no primeiro semestre do ano que vem.

NA PRÁTICA – As obras desta fase incluem a construção da nova entrada do esgoto com tubulações de dois metros de diâmetro e um canal, ambos em concreto, totalizando 90 metros; caixas extravasoras em concreto armado, com mais de seis metros de altura; estruturas, também em concreto armado, para o sistema de gradeamento com mais de sete metros de altura; nova estação elevatória de esgoto bruto; decantador secundário com capacidade para até 1.680 litros por segundo; linha de recalque com 1,2 metros de diâmetro em ferro dúctil; reforma da estação elevatória existente e substituição de duas bombas parafuso com 2,3 metros de diâmetro e uma com três metros de diâmetro.

Estão previstos, ainda, a instalação de três conjuntos motobombas, que vão garantir a operação de 1.800l/s; equipamentos para a elevatória de água para lavagem das grades; serviços de melhorias nos tanques de aeração; construção da elevatória de recirculação de lodo e recalque até os tanques de aeração; construção de 256 metros de canal de efluente final; alargamento do dique de contenção e da pista de rolamento existentes para descarga dos caminhões limpa-fossa, construção de casa para coleta de amostras dos caminhões limpa-fossa.

HISTÓRICO – A Estação de Tratamento de Esgoto Belém foi projetada no final dos anos 70. O tratamento é por lodos ativados com aeração prolongada, também conhecido como processo carroussel. Está em operação desde 1980. O projeto original previa o atendimento de 1,4 milhão de habitantes e o tratamento de 2.500 litros de esgoto por segundo, com três módulos compostos por dois tanques de aeração e dois decantadores secundários. Ao longo dos anos, em vez de expandir a ETE Belém, a Sanepar optou por construir novas estações em outras áreas da Região Metropolitana de Curitiba.

Com apenas um módulo, atualmente a ETE Belém tem capacidade para tratar 840 l/s, atendendo aproximadamente 600 mil habitantes. Esta é a primeira reforma ampla que se faz nesta unidade.

 

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

Últimas Notícias:
Descarte Correto de Resíduos

Saiba como descartar resíduos corretamente e evitar doenças como a dengue

Além de crime ambiental, o descarte irregular de resíduos sólidos traz diversos prejuízos ao meio ambiente e à população. Estes pontos se tornam ambientes propícios para a proliferação de vetores de doenças, levando às situações de alagamentos em período de chuva, comprometendo a qualidade do ambiente e da paisagem do local, além de gerar o aumento dos custos públicos com a remoção do material descartado de forma incorreta e também dos gastos com saúde pública.

Leia mais »
Contrato Sabesp Vale do Paraíba

Novo contrato da Sabesp prevê aporte de R$ 18,6 bilhões no Vale do Paraíba até 2060

Atualmente em consulta pública, o novo contrato da Sabesp encontra-se em processo de desestatização, proposto pelo governo do estado de São Paulo. Os investimentos estão previstos em R$ 18,6 bilhões até o ano de 2060, no Vale do Paraíba e Litoral Norte. Cerca de R$ 5 bilhões serão destinados à universalização do saneamento básico nas 28 cidades atendidas pela Sabesp na região até 2029. As obras que pretendem levar água potável, coleta e tratamento de esgoto para toda a população, foram definidas com as prefeituras.

Leia mais »
Dmae Fumaça Ligações Irregulares

Dmae de Uberlândia/MG vai iniciar testes de fumaça para identificar ligações irregulares de esgoto

A partir da próxima segunda-feira (4), o Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) iniciará testes de fumaça para detectar ligações irregulares na rede de esgoto do município. O primeiro bairro atendido será a região do bairro Pampulha. O local em questão foi escolhido para iniciar os trabalhos devido ao grande número de chamados para desobstrução de rede, especialmente em período de chuva. Futuramente, outros bairros da cidade receberam os mesmos testes.

Leia mais »
Manejo de Resíduos Biometano Brasileiro

Ao custo global de R$ 3,1 tri, manejo de resíduos pode virar negócio, como o biometano brasileiro

Segundo alerta feito pela ONU nesta quarta-feira, 28, o volume de resíduos no mundo, que atingiu 2,3 bilhões de toneladas em 2023, continuará crescendo exponencialmente, até 3,8 bilhões de toneladas até meados deste século. A crise será ainda mais grave nos países onde os métodos de tratamento ainda são poluentes: aterros sanitários (contaminação do solo, emissões de poluentes e gases de efeito estufa, como o metano) e incineração sem recuperação.

Leia mais »
Sanasa Campinas Saneamento Básico

Campinas tem saneamento superior à média nacional

Dados do “Censo 2022: Características dos domicílios – Resultados do universo”, publicados na sexta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) confirmam a elevação dos indicadores de moradores com acesso ao saneamento básico em Campinas.

Leia mais »