saneamento basico

Acordo de Cooperação Técnica fortalece ações da Arsal e do IMA em Alagoas

As ações realizadas pela Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado de Alagoas (Arsal), destacadamente na área de Saneamento Básico, e pelo Instituto do Meio Ambiente (IMA) ganharam um reforço importante nesta quinta-feira, 10, com a assinatura de um Acordo de Cooperação Técnica entre os órgãos. O documento foi assinado entre os presidentes da Arsal e do IMA, respectivamente, Marcus Vasconcelos e Gustavo Lopes, na sede da Agência Reguladora.

O Acordo de Cooperação Técnica visa à realização de estudos, troca de informações e disponibilização de recursos humanos, materiais e tecnológicos para o fortalecimento e o alinhamento de procedimentos técnicos, operacionais e de gestão. Por meio dele, os órgãos poderão ainda efetuar operações conjuntas em todo o Estado.

A Agência deverá fornecer informações acerca das áreas reguladas (Transporte Rodoviário Intermunicipal de Passageiros, Gás Natural Canalizado, Saneamento Básico e Energia Elétrica) e acompanhar as ações do Instituto, que irá disponibilizar seu laboratório para a realização de análises em amostras colhidas durante as fiscalizações efetuadas pela Agência Reguladora nos municípios onde o saneamento básico é regulado, por exemplo.

“Vejo como o ponto mais importante desse acordo a troca de informações que será possibilitada. Poderemos utilizar toda a estrutura que a Arsal possui e todas as pessoas que ela mobiliza em torno do transporte intermunicipal para divulgar ações de educação ambiental”, exemplificou Gustavo Lopes classificando a parceria como extremamente importante para os dois órgãos.

“Os quatro segmentos de atuação da Agência estão envolvidos de algum modo com a questão ambiental, principalmente o saneamento básico, uma das áreas mais beneficiadas com o acordo. Consequentemente, isso irá se refletir de forma positiva para a população dos 35 municípios onde o serviço é regulado em Alagoas”, completou Marcus Vasconcelos.

Antonio de Padua, gerente de Saneamento da Arsal, explicou um dos resultados práticos do convênio: “A Companhia de Saneamento de Alagoas, Casal, envia mensalmente amostras dos indicadores de qualidade de água para que analisemos e, quando necessário, realizamos coletas in loco e enviamos para análise laboratorial. Com essa cooperação técnica, nosso trabalho terá um tempo de resposta ainda mais ágil e os custos operacionais serão reduzidos, já que não precisaremos utilizar laboratórios privados”.

Inédito, o convênio – assinado também pelas diretoras executivas da Arsal, Eulália Moraes e Eliane Merten -, terá vigência de cinco anos, a partir da data de sua assinatura, e não possui natureza financeira.

Fonte: Ascom Arsal
Últimas Notícias:
Concessão Saneamento Itaú de Minas

Concessão do saneamento de Itaú de Minas já tem interessadas

Pelo menos duas empresas de saneamento do setor privado manifestaram interesse na concessão do serviço em Itaú de Minas, no Sul do Estado, durante a etapa de consulta pública, concluída em 21 de janeiro deste ano. As empresas são a Cristalina Saneamento e a Orbis Ambiental, que também disputou a licitação do serviço em Alpinópolis, cidade da mesma região e de tamanho similar a Itaú.

Leia mais »
Serviços de Coleta de Lixo

Mais de 90% dos brasileiros contam com serviço de coleta de lixo

Os serviços de coleta de lixo, direta ou indireta, beneficiavam 90,9% dos brasileiros em 2022, segundo dados do Censo 2022 divulgados na sexta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A pesquisa mostra que 82,5% dos moradores têm seus resíduos sólidos coletados diretamente no domicílio por serviços de limpeza.

Leia mais »
Risco Ambiental Fármacos Esgoto

Avaliação de risco ambiental de fármacos e desreguladores endócrinos presentes no esgoto sanitário brasileiro

Este estudo investigou a ocorrência, remoção e impacto na biota aquática de 19 contaminantes de preocupação emergente (CEC) comumente reportados no esgoto brasileiro bruto e/ou tratado. Para 14 CEC (E1, E2, EE2, GEN, DCF, PCT, BPA, IBU, NPX, CAF, TMP, SMX, CIP, LEV), sua presença em esgoto tratado apresentou um alto risco ambiental em pelo menos 2 dos 6 cenários de diluição considerados.

Leia mais »